Summer School

 

2015

ART & SCIENCE. SUMMER SCHOOL (15-19 June 2015. CFCUL)

Nesta Escola de Verão pretende-se pensar a relação entre Ciência e Arte, quer pela análise de alguns dos momentos fundamentais dessa relação (estudo de casos paradigmáticos), quer pela interrogação do sentido dessa articulação na nossa contemporaneidade.

Destinatários: alunos do 10º ano
Requisitos: matrícula no 10º ano de escolaridade
Horário: todas as tardes da semana, das 14:00 às 18:00.

Inscrições 
A taxa de inscrição é de 20 euros (inclui materiais de curso). A inscrição deve ser formalizada até ao dia 08 de Junho, através do email cdlisboa@fc.ul.pt, mediante o envio de ficha de inscrição e outra documentação obrigatória. Para mais informações, consultar: cfcul.fc.ul.pt

 

PROGRAMA

SEGUNDA-FEIRA, 15 DE JUNHO | Sala 6.2.46

14h30h – 15h00 Abertura (Professora Olga Pombo)

15h00 – 18h00 (com intervalo das 16h as 16.30)
“Os grandes momentos da história da pintura e as questões da ciência: espaço, cor e movimento” (Professores Cristina Tavares e João Cordovil)

Grandes momentos da história da pintura e questões de ciência: do renascimento (o pintor como sábio, a geometria e a proporção), ao impressionismo (a pintura como captação da luz e do instante) e ao cubismo (uma outra noção de espaço). Espaço, cor, movimento: sob as camadas finas da aparência comum, espreitam-nos encadeamentos insuspeitos e delicados enigmas. Tomamos o Espaço como o fundo, o plano tridimensional imenso, inerte e imutável onde o mundo se pode dar; tomamos a Cor como próprio de cada coisa; tomamos o Movimento como óbvio e aditivo; tomamos Espaço, Cor e Movimento como absolutamente independentes e distintos. Tomamos a Arte e a Ciência como áreas da actividade humana independentes uma da outra. Contudo, a Arte e a Ciência, cada uma á sua maneira e com os seus próprios meios, materiais e métodos, descobrem o espaço fluido, o espaço alterado pelo movimento, o espaço desdobrado em diferentes dimensões e ilusões; a Arte e a Ciência descobrem a cor como vibração, dependente do contexto espacial, da óptica e das suas ilusões; a Arte e a Ciência descobrem como ilusório o movimento fragmentado, congelado, espacializado, absoluto e relativo. A Arte e a Ciência descobrem reencontrando, regressando, as antigas questões da natureza do Espaço, da Cor e do Movimento. Mas qual a relação, a simultaneidade ou a interferência destas descobertas e regressos na Arte e na Ciência? Cada uma fez, por si própria, o seu próprio curso, apenas no seu interior, dentro do progresso da sua própria disciplina? Ou existirá uma linha comunicante e contaminadora entre ambas? Ou será que a Arte e a Ciência se necessitam mesmo uma a outra, como duas formas do conhecimento humano, que é uno?

TERÇA-FEIRA, 16 DE JUNHO | Sala 2.1.15

15h00 – 18h00 (com intervalo das 16h00-16h30)
“Microscopia – A Ciência rente ao olhar” (Professor Rui Malhó)

As actuais técnicas de microscopia, óptica e electrónica, permitem visualizar todas as estruturas das células que constituem os organismos vivos e daí retirar inúmera informação sobre o seu funcionamento e interacção com o meio que as rodeia, o seu estado fisiológico, o seu grau de desenvolvimento, de saúde, de adaptação. Em paralelo permitem obter imagens de grande beleza e inspiradoras de composições artísticas, esbatendo as divisões tradicionais entre Ciência e Arte.

QUARTA-FEIRA, 17 DE JUNHO | Sala 2.2.06
14h30 – 18h00 (com intervalo das 16h00 – 16h30)
“Microbiologia e Arte” (Artista Marta Menezes)

Nesta sessão serão tratadas questões sobre o microbioma individual de cada um e sobre a variedade de discursos artísticos que se centram em bactérias e fungos. A sessão integra também um atelier, onde será feita uma pequena experiência com caixas de petri (três por participante + papel e materiais de desenho e de colorir) e bactérias que comem cor, ou outras que expressam cores variadas.

QUINTA-FEIRA, 18 DE JUNHO | Sala 6.2.46
14h30 – 18h00 (com intervalo das 16h00 – 16h30)
“Literacia e experimentação teatral” (Professora Graça Corrêa)

O trabalho a desenvolver nesta sessão consistirá numa pequena introdução à arte do teatro e à sua relação com a ciência, seguida de exercícios de expressão e criatividade e culminando na performance experimental de um breve texto dramático.
1. Introdução ao Teatro; 2. Expressão e Criatividade
Exercícios individuais e coletivos: movimento, identidade, alteridade, transformação, memória emocional, memória sensorial, mimetismo, atividades, objetos e relacionamento.
3. Texto e Interpretação
Acção e motivações; contexto e circunstâncias; objectivos e obstáculos; estratégias de apresentação.

SEXTA-FEIRA, 19 DE JUNHO | Sala 6.2.46
14h30 – 16h30 (com intervalo das 16h30 – 17h00)
“Arte e Ciência: representações do invisível. A produção de imagens como lugar de encontro entre a Ciência e a Arte” (Professores: Sara Fuentes e João Cordovil)

Na primeira parte desta sessão tentaremos mostrar, através de algumas imagens exemplares, como ambas disciplinas procuram fórmulas visuais de representar o Mundo e de produzir conhecimento. Na segunda parte, de natureza prática, os alunos serão convidados a experimentarem a elaboração, por exemplo, de mapas impossíveis, esquemas, diagramas… de um assunto a ser proposto.

17h00 -18h00, Debate e encerramento da Escola de Verão (Professoras Catarina Nabais e Cristina Tavares)

Advertisements